fbpx

8 dicas de ouro para quem tem bromidrose axilar

Diariamente, tanto em casa quanto na rua, nós estamos expostos a muitas situações e ambientes que nos fazem entrar em contato com bactérias, fungos e a produzir e secretar suor.

Isso tudo contribui para ficarmos mau cheirosos.

Para algumas pessoas, o odor desagradável pode ir embora de uma forma simples: com apenas um ótimo banho.

No entanto, infelizmente, para quem tem bromidrose, essa realidade é bem diferente e não é nem um pouco fácil de lidar.

Isso porque, mesmo se asseando adequadamente e comprando vários produtos, o mau cheiro não vai embora.

Embora essa situação não seja letal, gera vários problemas de autoestima e de relacionamento.

Ao reparar que vários produtos não funcionam para o próprio odor desagradável, muitas pessoas recorrem a opções que podem aumentar ainda mais o mau cheiro.

Além disso, também podem provocar reações graves.

No entanto, você sabia que existem algumas medidas que devem ser tomadas que podem contribuir para amenizar a bromidrose axilar?

Quer saber quais são? Acompanha a leitura com a gente!

Como lidar com a bromidrose no verão?

O que é bromidrose?

O verão está chegando e isso significa que os dias vão ficar cada vez mais quentes.

Nessa época do ano, não é tão incomum vermos pessoas suando no meio da rua.

Muitas, inclusive, ficam com a região das axilas bem molhadas a ponto de formar as famosas “pizzas”.

Em muitas dessas situações, a transpiração pode vir acompanhada daquele mau cheiro que ficou conhecido como “cecê”.

Este termo popular, por sua vez, é usado para se referir ao odor desagradável debaixo dos braços.

Porém, cientificamente, esse tem um nome: bromidrose axilar.

Caracteriza por um mau cheiro bem forte e insistente, essa condição não atinge somente as axilas.

Ela também pode afetar a virilha e os pés, por exemplo.

Independentemente de onde seja, o mau cheiro acontece pelo mesmo motivo: a proliferação de micro-organismos como bactérias e fungos.

Mas como assim? Como isso acontece?

O corpo tem dois tipos de glândulas sudoríparas: as écrinas e as apócrinas.

Apesar de muita gente não conhecer e não saber, elas funcionam de forma diferente.

Ficou confuso? Calma!

As glândulas écrinas estão espalhadas por toda a superfície da pele.

Elas são responsáveis por liberar o suor, substância salina composta por água e sais minerais.

Este, como sabemos, agem para regular a temperatura do nosso corpo. Sendo assim, é inodoro.

Diferentemente das écrinas, as apócrinas se desenvolvem em algumas partes do corpo, como axilas, virilha, pés e couro cabeludo.

Mas essa não é a única diferença entre os dois tipos de glândulas: o suor eliminado pelas glândulas apócrinas acontece por meio dos folículos pilosos.

No mais, além da água e dos sais minerais, restos celulares, como queratina, também são liberados.

Em ambientes úmidos e quentes, o encontro dessa decomposição com bactérias e fungos resultado no mau cheiro.

Desodorante de cristal é bom? Funciona para bromidrose (mau cheiro)?

Fatores que favorecem a bromidrose

Agora você já sabe o que é bromidrose e o que causa o odor desagradável.

Apesar de ser uma ação das glândulas sudoríparas apócrinas, alguns fatores podem favorecer a produção do suor e o mau cheiro.

Alguns deles são:

  • Roupas apertadas e com tecidos grossos
  • Tabagismo
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Ação de alguns medicamentos
  • Diabetes mellitus
  • Micose na região axilar
  • Ingestão de alguns alimentos
  • Má alimentação

Dicas para quem tem bromidrose axilar

Antitranspirante ou botox nas axilas? O que é melhor para mau cheiro?

Algumas ações devem ser realizadas para amenizar o odor desagradável atribuído à bromidrose axilar.

Para isso, o mais importante e ideal é controlar o suor.

Assim, consequentemente, a proliferação de bactérias e fungos também será reduzida.

1.      Evite o uso de lâminas

Muitas pessoas acreditam que os maiores responsáveis pelo mau cheiro são os pelos, mas isso não é verdade.

Isso não quer dizer que não contribuem para o odor desagradável.

Veja, quando suamos, a região axilar fica mais úmida e quente.

Esse é o ambiente perfeito para que micro-organismos como bactérias e fungos se instalem.

Então, para evitar isso, muitas pessoas removem todos os pelos com lâminas.

Porém, essa só é uma opção boa se você for usar uma nova lâmina cada vez que se depilar.

Isso porque esse objeto pode acumular agentes e, ao usa-lo novamente, as bactérias voltam para as axilas.

Se houver ferida, isso ainda piora.

Uma ótima alternativa é conhecer novas técnicas de depilação se desejar.

2.      Deixar as axilas secarem naturalmente ou usar uma toalha diferente

Ao tomarmos banho, é preciso se higienizar de forma correta.

Se não, mesmo com água e sabão, muitas bactérias podem permanecer alojadas.

Assim, ao se secar com a mesma toalha, agentes que estavam instalados nos pés, por exemplo, podem passar para as axilas.

Para evitar essa contaminação cruzada, deixe as axilas secarem de forma natural ou utilize uma toalha diferente.

Nesse caso, troque, pelo menos, semanalmente e a lave.

5 desodorantes para peles sensíveis

3.      Não utilize esponjas

Muitas pessoas acham que esponjas e buchas podem ajudar a remover bactérias e fungos mais facilmente.

Porém, como elas são molhadas frequentemente, quando contaminadas, elas também são o lugar ideal para proliferar esses micro-organismos.

Então, evite a utilizar desses artigos de banho.

4.      Cuidado com o vestuário

Geralmente, as axilas já são regiões quentes e que há muito atrito.

Ao suarmos, elas ficam úmidas e, com isso, dependendo do vestuário, a proliferação de bactérias e fungos pode ser ainda maior.

Por isso, além de lavar e desinfetar de forma adequada as roupas, também é importante evitar peças apertadas e com tecidos grossos, como os sintéticos.

5.      Não utilize roupas de terceiros

Mesmo lavando nossas roupas, de forma adequada, não é uma garantia que todos os agentes causadores de mau cheiro foram removidos.

Então, imagine usar uma peça de alguém que você não faz ideia se, de fato, higienizou e nem como?

Para evitar mais proliferação de bactérias, evite usar roupas alheias.

6.      Mantenha uma alimentação saudável

Essa é uma dica válida para todo mundo que deseja reduzir o mau cheiro em qualquer parte do corpo.

Para quem tem bromidrose, essa ação deve ser levada ainda mais em consideração.

Nesse caso, é importante reduzir o consumo de carne, de leite e derivados, temperos e vegetais e ricos em enxofre.

No mais, também é fundamental a ingestão de água e diminuir o consumo de bebidas alcóolicas.

Se você fuma, é recomendável que pare.

7.      Uso de desodorantes e antitranspirantes

Para controlar o odor, é indicado o uso de desodorantes.

Já para diminuir e controlar a quantidade de suor na região axilar, antitranspirantes são uma ótima opção.

No caso da bromidrose, é importante usar produtos que são desodorantes e antitranspirantes.

Aliás, eles devem conter cloreto de alumínio hexahidratado.

8.      Uso de sabonetes antissépticos

Ainda que seja a última dica, ela não é menos importante que nenhuma anterior.

Para reduzir a proliferação de bactérias e fungos, é necessário utilizar sabonetes antissépticos.

Essa dica é válida para qualquer parte do corpo, especialmente para a região axilar.

Cirurgia para bromidrose: como é? Vale a pena?

E aí, gostou das nossas dicas?

Quais outras dicas podem ser incluídas nessa lista?

Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *