fbpx

Bromidorse X TMAU – Saiba a diferença

Recentemente uma leitora me perguntou a diferença de bromidrose e TMAU, e invés de responder apenas para ela por inbox em nossa página no facebook aqui, eu resolvi fazer esse artigo para esclarecer quaisquer possíveis dúvidas referente ao assunto.

Então se você quer saber a diferença e também identificar o que é bromidrose ou TMAU, não deixe de ler esse artigo até o final!

Primeiramente para entendermos como o odor se desenvolve em nosso corpo, devemos ter o conhecimento de que existem dois tipos diferentes de glândulas sudoríparas em nosso corpo: as écrinas e as apócrinas.

As glândulas ecrinas, possuem como função principal a regulação da temperatura corporal, cujo o suor produzido por ela é composto somente por água e sais, e não exala cheiro algum.

As glândulas apócrinas, por sua vez, estão presente em apenas algumas regiões do corpo como: axilas, área genital, couro cabeludo, ao redor dos mamilos.

O suor que secretam é eliminado através dos folículos pilosos e, além de conter água e alguns sais, também é composta por restos celulares e do metabolismo cujo tendem a produzir odores fortes e desagradáveis quando expostos à ação de bactérias e fungos.

O que acaba caracterizando um problema do qual é denominado de bromidrose, popularmente conhecido também como cecê (axilas) e chulé (pés).

Além dos fatores genéticos, que determinam as características das glândulas apócrinas, existem também outras condições que podem contribuir para o mau cheiro corporal, como alimentação, obesidade, má higiene pessoal, excesso de suor, ingestão excessiva de álcool ou alguns alimentos como cebola, alho e pimenta e até certos tipos de calçados.

O tratamento para combater a bromidrose varia de pessoa para pessoa, uma vez que as suas causas diferenciam-se entre os indivíduos.

Medidas para combater odor causada pela bromidrose

Realizar uma desintoxicação das axilas, evitar certos tipos de alimentos que contribuem para o mau cheiro, utilizar sabonetes ideais para combater a proliferação de bactérias, fazer uso de desodorantes internos e até externos entre outras coisas…

Agora vamos falar sobre trimetilaminuria TMAU, também popularmente conhecida como síndrome do odor de peixe.

Onde cerca de 1% da população são portadores da doença, do qual sua principal característica é fazer com que essas pessoas exale um odor de lixo, fezes, borracha queimada e até de peixe em decomposição.

Diferente da bromidrose cujo o odor é ativado através do suor em contato com bactérias e fungos, a TMAU acontece internamente.

Sendo mais especifica quando a enzima flavina-monoxigenase 3 (FMO3) que é responsável por processar substâncias como a trimetilamina não funciona corretamente ou nem se quer é produzida pelo organismo.

Cujo o excesso de trimetilamina no organismo, faz com que seja liberado um odor semelhante ao um peixe em decomposição na transpiração, urina e até no hálito.

Para quem não sabe a trimetilamina é um composto orgânico nitrogenado, formado através de bactérias intestinais derivados de alimentos ricos em algumas substâncias como a colina e a carnitina ( carnes vermelhas, leite, bebidas energéticas e até suplementos).

Como combater o odor que é causada pela TMAU?

Infelizmente a síndrome não tem cura e os tratamentos são bem limitados, uma medida bem radical para poder tentar amenizar o odor semelhante ao peixe é evitar comer qualquer alimento que seja rico em colina.

Outra medida que ainda está em fase de estudo é a introdução da Riboflavina (vitamina B2) na dose de 200 gm por dia, uma vez que um houve uma redução da excreção de trimetilaminuria, devido a vitamina B2 ter agido como um co-fator para o aumento da atividade da enzima (FMO3).

No que acabou resultando em uma melhora significativa, no odor semelhante ao de peixe da paciente.

Quanto custa e onde comprar a vitamina B2 ?

Atualmente existem diversas marcas que vendem a vitaminas B2, no entanto eu recomendo você comprar aqui na Farmácia Eficácia pois além de ser de uma farmácia de manipulação de confiança, o preço da vitamina B2 é super em conta.

Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *