fbpx

Cirurgia para bromidrose não funcionou: e agora?

Certamente você já reparou que, durante a prática de uma atividade ou em uma situação bem estressante, é normal que nós suemos mais?

Essa é uma ação normal do organismo para regular a temperatura do corpo. Em alguns casos, além da transpiração, o mau cheiro também pode aparecer.

Para algumas pessoas, basta tomar um bom banho que o odor desagradável vai embora. No entanto, para quem tem bromidrose, a tarefa de acabar o mau odor é bem mais complicada.

Infelizmente, não há uma cura para o mau cheiro proveniente dessa condição. Entretanto, há formas de solucionar, mesmo que de forma temporária, ou diminuir a projeção do odor.

Em alguns casos, a cirurgia para bromidrose pode ser uma alternativa válida. Mas o que fazer quando ela não resolve a situação?

Caso queira saber mais, é fácil: basta acompanha a leitura com a gente!

O que é bromidrose?

Você já ouviu alguém falando a palavra “bromidrose”? Provavelmente não, né? De fato, tal termo não é tão conhecido assim.

Então, mesmo que você já tenha ouvido, certamente foram pouquíssimas vezes.

No entanto, com certeza, você já ouviu ou já falou o termo popular “cecê”, certo? Geralmente, ele é utilizado para designar uma pessoa que sofre com o mau cheiro nas axilas.

Na comunidade científica, tal problema recebe o nome de bromidrose axilar.

Bom, mas como, de fato, esse odor desagradável acontece? Qual a principal razão dele?

Para entender um pouco mais sobre esse assunto, é importante você saber que nós, humanos, temos dois tipos de glândulas sudoríparas: as écrinas e as apócrinas.

As écrinas estão espalhadas por toda a superfície da pele e são responsáveis por excretar uma solução salina, composta por água e sais minerais, conhecida como suor.

Este, por sua vez, como citamos anteriormente, tem função termorreguladora e não exala cheiro ou seja é inodoro.

Já as glândulas apócrinas estão localizadas em determinadas partes do corpo, sendo as axilas, mãos e pés mais comuns.

No caso delas, o suor é eliminado por meio dos folículos pilosos. Sendo assim, além de água e sais minerais, restos celulares também são excretados.

Quando estes, tanto o suor quanto os restos celulares, entram em contato com bactérias e fungos, especialmente em ambientes úmidos e quentes, como as axilas, surge o mau cheiro.

Tal processo de decomposição é nomeada de bromidrose. Quando o mau cheiro acontece na região axilar é porque a bromidrose axilar é uma realidade.

Para além dela, o odor desagradável também pode atingir a virilha e pés. Nesses casos, a bromidrose é, respectivamente, inguinal e plantar.

Tratamento para bromidrose

Embora a bromidrose não seja letal, essa condição afeta diretamente a vida de quem sofre com o mau cheiro.

Isso porque não é incomum vermos pessoas com bromidrose que têm baixa autoestima e, consequentemente, dificuldade para se relacionar.

Além disso, por tabu, muita gente não conhece ou não compreende que o odor desagradável não é resultado de falta de higiene.

Então, quem tem bromidrose ainda sofre com comentários desnecessários e, em muitos casos, bem maldosos.

Como citamos no começo do artigo, infelizmente, não há uma cura para essa condição. No entanto, há métodos que podem contribuir para acabar com o meu cheiro ou diminui-lo.

Alguns deles são a aplicação de toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, a cirurgia para bromidrose e o uso de desodorantes.

Cirurgia para bromidrose

Uma das formas de amenizar o mau cheiro é com procedimento cirúrgico. Nesse caso, há a opção da cirurgia para bromidrose que é chamada de simpatectomia.

Esta, por sua vez, consiste na remoção dos gânglios nervosos simpáticos que são responsáveis por controlar as ações involuntárias e, por isso, atuam no controle da vascularização e na produção de suor do corpo.

No caso da simpatectomia, há dois tipos: a lombar e a torácica.

Na lombar, os gânglios removidos são os da região lombar. Já a simpatectomia torácica corresponde na retirada dos gânglios que ficam localizados no tórax.

Embora seja um procedimento rápido e com ajuda de uma micro câmera acoplada, tal cirurgia para bromidrose pode causar efeitos colaterais.

Um dos mais temidos é a hiperidrose compensatória que consiste no aumento da sudorese em outras partes do corpo.

Tal reação não é difícil de acontecer. Por isso, é importante estar ciente de todos os riscos para ver se vale a pena ou não realizar uma cirurgia desse porte.

Para sanar as dúvidas, o acompanhamento de um profissional qualificado no assunto é fundamental.

Aliás, se puder, faça também um acompanhamento psicológico, pois transtornos, como ansiedade, podem ser uma das causas para que a sudorese intensa tenha voltado.

No mais, caso queira, há opções menos invasivas de tratamento para bromidrose, como o uso de desodorante para bromidrose axilar.

Desodorante para bromidrose axilar

Independentemente da intensidade do meu cheiro, seja forte ou fraco, o desodorante para bromidrose axilar é uma ótima opção, especialmente em dias mais quentes.

Atualmente, há muitas opções nos mercados e farmácias. Então, é ir testando e reparando qual se mostra mais eficaz.

Infelizmente, não existe um produto padrão para acabar com o odor desagradável, pois cada organismo é único.

Caso sua cirurgia para bromidrose não tenha dado o resultado esperado, tente não desanimar: Continue testando novos desodorantes para bromidrose axilar.

E aí, gostou do nosso artigo?

Você já sabia que existia uma cirurgia para bromidrose?

Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *