fbpx

Bromidrose

Dicas e tratamentos para combater o mau cheiro

Dipirona contra mau cheiro funciona?

Facebook
WhatsApp
Twitter

Sabe aquele seu conhecido que vive com mau cheiro? Então, é muito provável que esse odor seja causado por uma condição chamada bromidrose.

Feder em algum momento do dia é normal.

Ainda que você se encha de desodorante, perfume e hidratante, a verdade é que uma hora ou outra as bactérias que habitam sua pele começarão a metabolizar seu suor, o que causará o característico “cecê”.

Quando isso acontece, geralmente no fim do dia, a grande maioria das pessoas toma um banho e o mau cheiro vai embora – problema resolvido!

Mas, infelizmente, essa não é uma realidade para todos.

Pessoas que sofrem com a bromidrose não conseguem se livrar do mau cheiro facilmente. Em alguns casos, nem mesmo 10 banhos diários são capazes de resolver o problema.

Ou seja, o mau cheiro nem sempre é causado pela falta de higiene. Sendo assim, pense duas vezes antes de falar para alguém (ou pelas costas…) que essa pessoa fede.

Ela certamente já está consciente disso e fazendo o que pode para se livrar do mau cheiro.

É aí que entra o assunto do artigo de hoje: o tratamento da bromidrose está longe de ser fácil.

Os produtos e medicamentos formulados especificamente para acabar com o mau cheiro geralmente funcionam apenas por um curto período e, em muitos casos, não têm efeito algum.

Nesse contexto, muitos portadores da bromidrose acabam apelando para dicas e receitas caseiras na tentativa de acabar com o sofrimento causado pelo bullying, isolamento e fobia social etc.

E, embora esse desespero seja completamente compreensível, é preciso se atentar aos riscos que a automedicação pode oferecer à saúde.

Hoje vamos falar sobre o uso de dipirona em gotas para o mau cheiro. Será que é realmente eficaz? Qual é a ciência por trás disso? Quais são os riscos?

Você pode conferir todas as respostas aqui – basta continuar a leitura!

Para que serve a dipirona?

Se você é brasileiro, com certeza já tomou esse medicamento pelo menos uma vez na vida.

Um fato curioso é que a dipirona é proibida nos EUA e em muitos outros países. Isso porque, aparentemente, ela pode causar agranulocitose.

No entanto, há muitas controvérsias quanto a esse assunto.

Os resultados de pesquisas realizadas em solo estadunidense são bastante diferentes daqueles realizados por institutos de outras nações.

Por essa razão, alguns estudiosos acreditam que essa tenha sido uma estratégia de mercado para vender mais aspirinas.

Aqui no Brasil, onde é possível adquirir dipirona sem prescrição médica, essa medicação é utilizada principalmente por sua ação antifebril e analgésica, para casos de febre e dor.

Quais são os relatos?

Os relatos acerca do uso tópico de dipirona em gotas são bastante variados.

Alguns portadores de bromidrose relatam uma melhora significativa, mas é difícil saber exatamente qual forma de uso pode combater a bromidrose.

Enquanto uns aplicam algumas gotas diretamente na área a ser tratada (principalmente axilas), outros optam por misturar com algum creme desodorante.

Imagem: Reprodução/Facebook

De acordo com os relatos, a dipirona não afeta a transpiração, o que sinaliza que, qualquer que sejam as propriedades, provavelmente são antissépticas.

Mas nem todos os relatos são positivos. Alguns portadores de bromidrose não observaram nenhuma melhora, outros sentiram efeitos apenas por um período e em alguns casos a dipirona foi responsável por piorar o odor.

Imagem: Reprodução/Facebook

Além disso, diversos usuários experienciaram efeitos colaterais, como vermelhidão, reações alérgicas e irritações.

Imagem: Reprodução/Facebook

A dipirona realmente é capaz de controlar o odor?

Não há nenhum estudo que relacione o uso tópico de dipirona em gotas ao controle da bromidrose. Não existem nem mesmo pesquisas sobre as supostas propriedades antissépticas desse medicamento.

Porém, é bastante provável que esse cenário mude num futuro não muito distante, pois há muitos relatos de que a dipirona em gotas pode tratar micose de unha.

Algumas hipóteses sobre como a dipirona supostamente age já foram levantadas.

Uma delas é a de que o sódio presente na composição do medicamento pode alterar o pH natural da axila, deixando-a mais alcalina, o que evitaria a proliferação de bactérias na área.

Mas, até o momento, o que realmente importa e deve ser levado em consideração é que não há nenhuma evidência científica de sua eficácia contra o mau cheiro.

E isso nos leva ao último tópico desse artigo…

Faz mal usar dipirona em gotas na pele para o mau cheiro?

A resposta é: não se sabe, mas é muito provável sim.

Isso porque o uso tópico da dipirona em gotas não é aprovado pela ANVISA (órgão regulador brasileiro).

Não foram feitos testes sobre como esse medicamento age na pele, quais são os possíveis efeitos colaterais, posologia, quais são as contraindicações etc.

Ou seja, não há como saber se essa prática pode ter efeitos colaterais a longo ou curto prazo.

Pelos relatos já é possível ter uma ideia de como a dipirona pode ser prejudicial em contato com a pele. Há diversos relatos de irritações após seu uso tópico.

Conclusão

Muitos portadores de bromidrose têm recorrido ao uso tópico de dipirona em gotas para tentar controlar o mau cheiro. Há diversos relatos de melhoras no quadro, mas também de pioras, reações alérgicas e irritações.

Não há evidências científicas de que o uso tópico de dipirona em gotas pode agir contra o odor ou possui alguma ação antisséptica.

O uso tópico desse medicamento não é aprovado pela ANVISA.

A automedicação pode resultar em muitos efeitos colaterais graves, incluindo choques anafiláticos resultantes de uma reação alérgica.

Há diversas alternativas de tratamento (https://bromidrose.com/5-desodorantes-baratinhos-para-bromidorse-2021/) contra o mau cheiro com eficácia e segurança comprovadas. Você não precisa recorrer a medicamentos que podem oferecer riscos a sua saúde.

FRETE 15 REAIS PARA TODO BRASIL

SEM SUAR

Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes