fbpx

Odor hormonal: entenda a relação entre mau cheiro e hormônios

A pré-adolescência é uma época inesquecível para todo mundo.

Para uma parte, essa fase não é tão memorável, mas, para outras pessoas, a pré-adolescência é a fase de vivenciar experiências, errar, aprender e acertar e fazer novos amigos.

No entanto, é também nessa fase que o nosso começa a mudar.

Nos homens, a voz começa a engrossar e os pelos aparecem.

Já nas mulheres, o aparecimento e o desenvolvimento dos seios e a primeira menstruação é um marco.

E isso tudo tem motivo: hormônios.

Nessa época, algumas pessoas já precisam passar a conviver com um problema chamado bromidrose.

Embora não seja grave e nem letal, essa condição afeta – e muito- a autoestima de quem sofre com ela.

Por isso, hoje, decidimos abordar um assunto não muito falado por aí: bromidrose e odor hormonal.

Preparado? Acompanha a leitura com a gente! Você não vai se arrepender.

O que é bromidrose?

Como tratar mau cheiro na virilha

Em algum momento da sua vida, você já ouviu os termos “chulé” e “cecê”.

Ambos são usados para se referir ao mau cheiro, respectivamente, dos pés e das axilas.

Cientificamente, esses quadros são chamados de bromidrose plantar e bromidrose axilar.

Essa condição tem como principal característica o odor desagradável.

Isso acontece devido à proliferação de agentes, como bactérias e fungos, que surgem com a transpiração excessiva.

Esta, por sua vez, ocorre pela hiperatividade das glândulas sudoríparas.

Calma, se isso parece confuso para você, não esquenta!

Vamos explicar tudo: em nosso corpo, nós temos dois tipos de glândulas sudoríparas, as écrinas e as apócrinas.

A primeira delas, as écrinas, estão em toda a superfície da pele e liberam o suor, uma solução salina composta por água e sais minerais, com função de regular a temperatura do nosso organismo.

Essas não exalam cheiro.

Já as apócrinas só estão localizadas em algumas áreas do corpo, como as áreas genitais, axilas, couro cabeludo e ao redor dos mamilos.

Diferentemente das écrinas, o suor excretado pelas glândulas apócrinas é eliminado através dos folículos pilosos.

Sendo assim, além de água e sais minerais, alguns tecidos e restos celulares também são eliminados.

Quando estes se juntam com bactérias e fungos, que aparecem com mais facilidade em locais úmidos, há o aparecimento do odor desagradável.

Fatores que influenciam o mau cheiro

Apesar do mau cheiro surgir justamente por conta da proliferação de micro-organismos, existem alguns fatores que influenciam o aparecimento do odor desagradável. Estes são:

  • Má alimentação
  • Uso de roupas apertadas e tecidos grossos
  • Consumo de bebidas alcoólicas
  • Utilização de alguns medicamentos
  • Ação de alguns hormônios

Odor hormonal: isso existe?

5 desodorantes para peles sensíveis

Não é nenhuma novidade que as ações dos hormônios influenciam diretamente na questão do mau cheiro.

Como citamos anteriormente, a pré-adolescência é uma fase de muitas mudanças, principalmente em relação ao nosso corpo.

Por isso, não é incomum conhecermos alguém que, nessa fase, tenha apresentado ou apresente um odor desagradável debaixo do braço, na região das axilas.

Isso acontece justamente porque, tanto no organismo feminino quanto no masculino, a testosterona começa a ser produzida.

Sendo assim, em homens e em mulheres que têm altos níveis desse hormônio no organismo não é tão anormal apresentarem o odor hormonal já que a testosterona pode determinar uma maior transpiração.

Como você também pôde reparar nos relatos acima, algumas mulheres sentem que o mau cheiro aparece ou se intensifica durante o período pré-menstrual.

Isso também acontece porque, nesse intervalo de tempo, os “hormônios estão à flor da pele”, isto é, há bastante alteração hormonal no corpo feminino.

Ao longo dos anos, conforme o individuo vai envelhecendo, há menor produção dos hormônios sexuais, por exemplo.

Isso faz com que os odores do corpo fiquem diferentes.

Como lidar com o mau cheiro

Quem sofre com a bromidrose, sabe que essa condição não é difícil de lidar.

Além de viver situações desconfortáveis, principalmente por falta de informação das outras pessoas, há ainda o gasto de dinheiro com produtos que prometem diminuir ou acabar com o mau cheiro.

Infelizmente, a bromidrose não tem uma fórmula mágica.

Sendo assim, ela é tentativa e erro.

A receita ou produto caro que funcionou para o seu amigo, não necessariamente pode dar certo para você.

E isso, talvez, seja o mais cansativo de tudo.

Já que o odor desagradável, característico da bromidrose, acontece pela decomposição de agentes bacterianos e fúngicos do suor, então, o ideal é controlar e diminuir a quantidade de transpiração excessiva.

Para isso, você pode e deve:

  • Evitar roupas apertadas ou com tecidos grossos, como os sintéticos
  • Melhorar a alimentação
  • Ingerir mais água
  • Usar sabonetes antissépticos
  • Utilizar antitranspirantes
  • Trocar as peças de roupas e meias todo dia
  • Prefira sapatos abertos

No mais, é sempre bom ter um acompanhamento de um especialista endócrino para saber se está tudo em ordem com os hormônios e o metabolismo de seu organismo.

Cirurgia para bromidrose: como é? Vale a pena?

E aí, gostou do nosso artigo?

Você sabia que o mau cheiro se intensifica com a ação dos hormônios?

Se for o seu caso, o que você fez pra diminuir o odor desagradável?

Alguma dúvida, crítica ou sugestão? Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *